sábado, 2 de fevereiro de 2013

PASTEL DE MILHO DO SUL DE MINAS


O PASTEL DE MILHO DO SUL DE MINAS é uma receita típica da região, cuja massa é feita com a farinha de milho flocada e posteriormente recheada - geralmente com carne moída ou queijo - antes de ser frita em óleo quente.

De acordo com uma das lendas, a história do pastel começou em 1819, quando 80 famílias deixaram Soledade (hoje Delfim Moreira), acompanhadas do padre Lourenço da Costa Moreira para fundar a vila que daria origem à Itajubá. A expedição saiu em busca de novas áreas para plantio e pecuária, um lugar onde o relevo fosse menos acidentado e houvesse facilidade de ocupação e exploração às margens do rio Sapucaí.

Durante a expedição, os alimentos foram se tornando escassos e, com as longas caminhadas, restou farinha de milho e polvilho como alimento. No interior da massa modelada em forma de um bolinho eles rechearam com carne de caça e fritaram com gordura de capivara. O alimento criado foi considerado saboroso e, quando já estabelecidos em Itajubá, a receita foi novamente preparada pelos exploradores para lembrarem da viagem e divulgada entre os novos habitantes da vila que se erguia. (fonte: Jornal Sul de Minas)
  
Inclusive, felizmente ele já foi registrado como patrimônio cultural do Município de Itajubá, através do decreto nº 4.283/10, visando sua preservação, divulgação e valorização. Bela iniciativa.

Importante lembrar que, apesar da semelhança, o Pastel de Milho é diferente do Pastel de Angu, muito consumido na região central do estado, cuja origem é atribuída às cidades de Itabirito e Conceição do Mato Dentro. Como o nome já diz, a massa desse pastel é feita através do angu e não da farinha de milho como no sul de minas.

Pastel de Milho do Sul de Minas


Ingredientes:

500g de farinha de milho 
½  xícara de polvilho azedo
500ml de água quente para escaldar (a quantidade necessária para formar a massa)
1 ovo caipira
2 colheres de óleo
1 pitada de sal
Óleo para fritar

Recheio 

O tradicional pastel de milho do sul de minas é recheado com carne moída ou queijo, mas você pode colocar o que preferir. No vídeo que mostra ele sendo enrolado, o recheio foi de pato caipira.

Usamos a farinha de milho flocada de Piranguinho/MG.

Modo de preparo:

Em uma vasilha coloque os ingredientes secos: a farinha de milho, o polvilho e o sal. Misture bem.


Coloque a água fervente aos poucos e mexa com uma colher, faça isso até que a massa comece a amolecer.

Espere esfriar um pouco, coloque o ovo e vá misturando com a mão. Continue colocando água (que deve estar em uma temperatura mais baixa para você conseguir trabalhar) e sove a massa, até que ela fique lisinha e não muito mole.


O ponto ideal da massa
Dica preciosa da Bel: para saber se a massa está no ponto, pegue um pedacinho dela, estique e dobre ao meio. Se ela não quebrar, é sinal que já está boa. Caso ela quebre, é necessário mais um pouco de água para sovar mais.

video

Depois da massa pronta, separe um bolinho e vá abrindo cuidadosamente na mão de forma a acomodar o recheio.

video

Leve os pasteis para fritar em óleo quente.

video


Bel - nossa cozinheira de mão cheia - e seus pastéis 


Para acompanhar, uma cerveja gelada e, por favor, NÃO ESQUEÇA DA PIMENTA!

Bão apetit!

6 comentários:

  1. A simplicidade é o último grau de sofisticação. Essa é a melhor frase para definir o blog de vcs. Parabéns Casal Gastro.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pelas considerações, Gustavo!
    Um abraço do casal!

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de saber se as duas colheres de óleo são colocadas na água para escaldar , ou se são colocadas separadas.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  4. obrigada eu adorei a receita, vou fazer sim deve ficar muito bom so de pensar já da agua na boca.

    ResponderExcluir
  5. E se colocar polvilho doce, daria certo? O azedo não vai estourar?

    ResponderExcluir
  6. Comi esse pastel em Itajubá onde me formei . Sou do Mato Grosso do Sul, aqui na minha região não tem lugar algum que faça esse tipo de pastel. Agradeço pela receita e com certeza ficará delicioso.Abraço Ricardo

    ResponderExcluir